Em audiência na Câmara de Itabirito, prefeito descarta hipótese de estrada do Marzagão ser pavimentada via Estado

por Comunicação da Câmara publicado 22/11/2019 15h55, última modificação 26/11/2019 14h07
Em audiência na Câmara de Itabirito, prefeito descarta hipótese de estrada do Marzagão ser pavimentada via Estado

Moradores do Marzagão puderam se expressar. Foto: Comunicação da Câmara

.

Em audiência pública realizada na Câmara de Itabirito, na noite desta quinta-feira (21/11), o prefeito Orlando Caldeira descartou a hipótese de a estrada do Marzagão (no trecho de 3,4 km da MG-30) ser pavimentada por meio do Governo do Estado de Minas Gerais. A obra é um anseio das famílias que moram na localidade. Isso porque o barro (em épocas de chuva) e a poeira (em momentos de seca) complicam a vida dos moradores locais. Não são raros os exemplos de dificuldade de locomoção da população local, bem como os problemas respiratórios que se dão principalmente nas crianças.   

.

Orlando informou que esteve com o secretário de Estado de Infraestrutura, Marco Aurélio Barcelos, que afirmou (segundo o prefeito) que atualmente é impossível a pavimentação almejada. “O secretário falou da falta de recursos, da dificuldade de pagar a folha de pagamento. Neste governo (Romeu Zema), sem chances (de a obra acontecer)”, disse Orlando. Por ser estadual, a Prefeitura não pode fazer qualquer intervenção no trecho por conta própria.

.

Contudo, o que foi dito na audiência é que o prefeito, vereadores e o deputado Alencar da Silveira Júnior (PDT) continuarão tentando. Uma das hipóteses é a municipalização do trecho, situação que autorizaria a Prefeitura a fazer a obra. Sendo assim, o município procuraria recursos em empresas como a Vale. Isso porque, caminhões a serviço da mineradora usam em demasia o trecho.

.

Um projeto do deputado Alencar está tramitando na Assembleia Legislativa de Minas Gerais com o objeto tornar realidade tal municipalização.

.

Os vereadores presentes na audiência: Arnaldo (presidente da Câmara), Rodrigo do Porco (vice-presidente), Renê Butekus (secretário), Ricardo Oliveira (que solicitou a realização da Audiência Pública), Rose da Saúde, Nilson Tem Tudo, Geraldo Mendanha, Max Fortes e Gilmar Capoeira se colocaram à disposição para lutar pela pavimentação.   

.

“As peças estão se movendo”, disse Arnaldo referindo-se ao fato de a Câmara, a Prefeitura e a Assembleia estarem empenhadas em uma esperada futura realização da obra. “Não tem uma reunião da Câmara que o vereador Ricardo Oliveira não fale no assunto”, enfatizou o presidente.

.

População

.

A moradora do Marzagão, Rosângela Assunção Ferreira Gonzaga (34), disse que a audiência “acendeu uma luz” para a comunidade. “Ficamos sabendo que não será pavimentada de imediato, mas acredito que ações vão ser feitas para minimizar o problema”, acredita ela.

.

Por sua vez, outra moradora da localidade, Suely Fagundes de Araújo, opinou: “não senti firmeza, mas a esperança é a última que morre”.

.

Vale

.

A empresa Vale mandou dois representantes: Marcelo Marcos Martins Costa e Carlos Diniz Murta Filho, responsáveis pelo relacionamento institucional da mineradora.

.

Eles apresentarão a ata da reunião à empresa. Segundo eles, com base no documento e com base em uma reunião futura com o prefeito, a Vale saberá qual a parte que cabe a ela.

.

A ata também será levada pelo prefeito à uma reunião no DEER-MG para discutir o assunto.

.

Em tempo: os vereadores de Rio Acima, Flávio Mello (presidente da Câmara) e Alcir Corrêa, bem como a vereadora de Ouro Preto, Regina Braga, também estiveram presentes na audiência.   

Acesse a ata da audiência pública (clique aqui).  

bernadete lima
bernadete lima disse:
22/11/2019 16h54
seria a realizacao de um sonho dos moradores tao sofridos do marzagao. Barro e Poeira é o que recebem por ser a unica opçao de moradia condizente com a renda salarial. torço por eles.
VEIRLÃNEO Ferreira Souza
VEIRLÃNEO Ferreira Souza disse:
23/11/2019 16h38
Quando estive como vereador, fiz uma indicação para executivo municipal sugerindo uma parceria público privada, onde Estado, Município e empresa vale façam o asfaltamento do trecho. Acredito eu, ser o caminho mais rápido.
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.