Prefeito Alex Salvador atende requerimento de vereadores e comparece a Reunião Ordinária na Câmara Municipal.

por Assessoria de Comunicação publicado 29/09/2017 14h50, última modificação 29/09/2017 14h57

Na última segunda feira (25) o prefeito Alex Salvador e o vice Wolney compareceram mais uma vez ao plenário da Câmara Municipal de Itabirito, atendendo o requerimento de autoria dos vereadores, para participar da reunião ordinária da semana. O presidente da Câmara, José Maria, deu boas vindas ao chefe do executivo e solicitou que respondesse aos questionamentos dos vereadores e deu liberdade para que o mesmo pudesse fazer demais esclarecimentos e pronunciamentos.

O prefeito iniciou sua fala ressaltando a importância das participações ocasionais do executivo nas reuniões da Câmara “pelo menos uma ou duas vezes ao ano eu faço questão de vir e peço inclusive para os assessores e funcionários da prefeitura que venham exatamente para tirar dúvidas de todos os vereadores, então me coloco completamente a disposição.”

Alex Salvador aproveitou o espaço na tribuna para falar sobre projetos atuais e futuros que serão desenvolvidos na cidade “eu quero iniciar nosso bate papo dando algumas informações e contando algumas novidades sobre coisas boas que estão chegando para itabirito, como é o caso por exemplo, das 300 casas cedidas através de um convênio com a COHAB (Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais), com nosso amigo Alessandro Marques (presidente da COHAB)”. De acordo com o prefeito, trata-se de um “programa” que irá oferecer financiamento de moradia para 300 novas famílias, ainda de acordo com Alex Salvador “as casas serão passadas para a população naquele critério que já conhecemos há muito tempo e que foi exatamente o critério usado para as doações dos 170 apartamentos do morada viva, e as pessoas que ficaram na fila e não receberam naquela ocasião, elas terão preferência”.

O prefeito explicou que devido a “péssima situação de arrecadação” enfrentada atualmente pela prefeitura, diferente dos 170 apartamentos doados através do programa “Morada Viva”, as 300 casas não poderão ser custeados pela prefeitura e, assim, doadas à população, porém serão oferecidas em um programa de financiamento com parcelas de baixo custo para melhorar as condições do morador em pagar pelo imóvel, o prefeito aproveitou também para agradecer aos responsáveis e demais envolvidos no projeto “eu quero agradecer muito ao deputado Ricardo Faria que é também uma das pessoas que proporcionou isso, que nos levou até a COHAB que abriu as postas lá para a gente junto com o Alessandro Marques, também ao governo do Estado que tem nos ajudado muito, isso é uma novidade, é uma grande conquista para nossa cidade” finalizou.

Outro assunto colocado em pauta foi a reforma do plano diretor, Alex solicitou o apoio dos vereadores para chamar a população para participar ativamente das audiências públicas que tratarão sobre o assunto “nós já tivemos nessa Casa audiência pública e vamos ter ainda várias outras em relação ao plano diretor. É bom que todos anunciemos isso, que se chame a população, principalmente as pessoas que trabalham com construção civil, que venham a essas audiências públicas para participar e também dar sugestões. ” Para o prefeito, a participação direta da população na audiência facilitará para que todos estejam cientes dos novos termos atualizados no Plano e, assim, todos poderão agir de acordo com a lei ”porque depois que se aprova, nós temos que colocar em prática, então depois não dá para reclamar, se não participar! O Plano é exatamente para arranjar uma solução, mas uma solução dentro da Lei, não pode fugir disso. Então eu gostaria muito que fizessem esse convite a nossa população”.

Em relação ao caso das “36 empresas”, constantemente levantado na tribuna, o prefeito esclareceu que, “dessas 36 empresas teve apenas uma delas que desistiu, todas as outras serão instaladas e só não foram ainda devido a única e exclusivamente a uma denúncia pública e a dificuldades de licenciamento ambiental, disso nós não temos culpa nenhuma”. Explicou que tal dificuldade não é só no município, mas em todo estado de Minas Gerais.

Questionado pelo vereador Rocha sobre a questão da regulamentação do “passe livre estudantil” o prefeito esclareceu que “a respeito do passe estudantil, como eu pretendo falar mais vezes a respeito, ele (o passe) é inviável! Se nós formos continuar com o passe estudantil do jeito que está, nós não vamos “dar conta”, não temos orçamento da Educação para isso não. Se não tornarmos uma atitude, não vamos conseguir”, ainda de acordo com Alex, a principal ação a ser tomada é o investimento na fiscalização dos usuários do passe estudantil, principalmente relacionado a veracidade de moradia no município e o retorno do critério socioeconômico para se ceder, ou não, os passes. Alex acredita que o número de estudantes que estudam em outras cidades tem aumentado a cada ano e que tende a aumentar ainda mais e que isso ocasiona uma indisponibilidade de verba para que a prefeitura possa continuar responsável por ceder 100% do valor do transporte desses estudantes, então, a possibilidade é que, com o auxílio de projeto de lei a ser levado à Câmara, os estudantes que iniciarem estudos a partir dos próximos anos, sejam selecionados de acordo com tais critérios a serem estabelecidos, assim, além de ajudar a prefeitura a controlar o projeto, irá também fazer com que os estudantes optem pela faculdade local, que ele acredita que poderá estender seus cursos futuramente de acordo com a demanda.

O vice-prefeito e Secretário da Saúde Wolney também presente na reunião, respondeu questionamentos feitos pela vereadora Rose, entre seus esclarecimentos Wolney falou sobre a viabilidade de se ter o Serviço de Atendimento Móvel Urgente (SAMU) no município, explicou que “para nós não é nem um pouco interessante o SAMU para Itabirito, pois nós temos uma rede de atenção e resgate feita pelos bombeiros civis que não tem em nenhum outro município, na verdade, ter o SAMU aqui, para a gente é um retrocesso, porque teria acesso estipulado pela Secretária Estadual de Saúde, nós teríamos apenas uma ambulância USB (Unidade de Salvamento Básico) e aí, nós temos hoje oito ambulâncias, aí imagina nós com apenas uma ambulância regulada pelo SAMU, como que uma única ambulância USB que tem apenas um técnico e um motorista socorrista vai atender a demanda que nós temos das oito ambulâncias hoje? Não atende. Então para a gente é um risco de ter o SAMU no município, a única vantagem é uma regulação feita por médicos, isso é realmente vantajoso, mas atualmente a regulação é feita pela Macrocentro, ou seja, é Belo Horizonte que vai regular toda a região metropolitana, então isso causa um transtorno”.

Por fim, ainda durante a reunião, o prefeito Alex Salvador chamou atenção para o fato que em qualquer gestão há erros e acertos e que não se devem ser levados em consideração apenas os erros, “é muito importante que quando se vai fiscalizar uma ação ou analisar uma gestão que se fale ‘É está errado! Mas vamos saber o que tá errado e como consertar’. Não é para falar ‘tudo que a gente faz é certo’ não, tem alguns enganos, tem alguns equívocos e alguns erros, só não tem erro premeditado, isso não tem não! O que se tem é erro técnico e isso acontece em toda gestão e na nossa não é diferente. Tem que se observar os erros, mas quando acertarmos também, tem que se notar e pensar “não está fazendo nada mais e nem nada menos que a obrigação, mas está sim fazendo certinho, porque o duro é ir em redes sociais falar bobagem, criticar, mas não saber o que está criticando”. 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.